Alberto Jorge, CEO da Trust Control e especialista em cibersegurança. (Foto: Divulgação)

Alerta

Aproximação da Black Friday exige cuidados redobrados para evitar golpes

Especialista em cibersegurança faz recomendações para empresários e usuários em geral no intenso período de compras e vendas pela internet

Tradicional no calendário de compras no Brasil, a Black Friday vai acontecer no próximo dia 24 de novembro, prometendo muitas promoções, vantagens e um movimento no mercado acima dos R$ 3,1 bilhões registrados em 2023 – segundo levantamentos de institutos de pesquisa. Por isso, diversas lojas virtuais e sites de compra já começam a anunciar promoções, atentos ao movimento dos consumidores. Com essas perspectivas bastante promissoras, consumidores e comerciantes podem aproveitar bem essa data. No entanto, não se deve ficar de olho apenas nas vendas: as ameaças de golpes cibernéticos também precisam estar no radar de quem for aproveitar a Black Friday.

“Por ser uma data tão aguardada, a ocasião é propícia para golpes. Naturalmente, existe o senso de urgência dos compradores em fechar o negócio rapidamente, para aproveitar os preços no curto espaço de tempo. Com isso, os aproveitadores utilizam meios fraudulentos para obter informações dos usuários, invadir contas bancárias e extrair dinheiro dos desavisados”, observa Alberto Jorge, CEO da Trust Control e especialista em cibersegurança.

Meios mais utilizados

Mensagens pelo WhatsApp, por SMS e e-mail são as maneiras mais utilizadas pelos cibercriminosos para oferecer vantagens que não existem e prejudicar as pessoas. “A cada ano as estratégias dos hackers ficam mais sofisticadas, exigindo redobrada atenção na hora das compras. Os cibercriminosos podem se passar por lojas reais, mas que nunca entregam os produtos. Para isso, elaboram sites fraudulentos, distribuindo links maliciosos, enviados e compartilhados em redes sociais, grupos de mensagens e e-mails”, detalha Alberto Jorge.

De acordo com o CEO da Trust Control, os comerciantes, especialmente os de empresas de menor porte, também devem ficar atentos. Antes de fechar qualquer acordo com fornecedores para a Black Friday, a reputação e o histórico do fornecedor devem ser pesquisados, além de uma verificação se ele possui um endereço físico, número de telefone válido e se tem registro de reclamações de clientes. “Outra orientação importante é acompanhar as transações realizadas durante a Black Friday, atento a qualquer atividade suspeita. Não custa considerar a possibilidade de implementar um sistema de detecção de fraudes para ajudar a identificar atividades fraudulentas”, observa o especialista em cibersegurança.

Orientações

Para todos os casos, é preciso se planejar para evitar golpes. Por parte dos empresários, uma das principais medidas é instruir os colaboradores a não clicarem em nenhum link, a não abrirem anexos suspeitos e a não compartilharem dados confidenciais. “Essas ações podem levar a ataques de phishing, ransomware ou violações de dados, resultando em prejuízos financeiros”, resume Alberto Jorge.

Para os usuários, é importante manter o sistema operacional, aplicativos e antivírus atualizados e garantir as correções de segurança. Além disso, senhas complexas devem ser usadas nos cadastros e jamais se deve fornecer dados pessoais para desconhecidos. “É fundamental certificar-se de que o site de compras é seguro: neste caso, ele sempre terá cadeados na barra de endereço, cujo domínio sempre começará com “https://”. Isso indica que o site possui uma camada de segurança para proteger suas informações pessoais”, recomenda Alberto Jorge.

A opção deve ser sempre por comprar de varejistas estabelecidos e conhecidos, que tenham reputação sólida. Uma breve pesquisa na internet pode confirmar se o site de vendas é confiável. ”A segurança na internet é uma responsabilidade que deve ser compartilhada por todos os usuários, e a conscientização é crucial para mitigar as ameaças, cada vez mais sofisticadas”, finaliza o especialista.

WhatsApp
Facebook
X
Telegram