(Foto: Arafat Barbakh/Reuters)

Vítimas

CPJ denuncia morte de jornalistas em Israel

Um dos jornalistas mortos no conflito foi Issam Abdallah, cinegrafista da agência de notícias "Reuters", que acompanhava um ataque de Israel no Líbano quando foi atingido por uma explosão

Por Camylla Evellyn

Pelo menos 12 jornalistas foram mortos durante a cobertura da guerra de Israel, segundo o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), organização sem fins lucrativos internacional. Em levantamento publicado neste domingo (15/10), ele também contabilizou dois profissionais desaparecidos e oito feridos.

Um dos jornalistas mortos no conflito foi Issam Abdallah, cinegrafista da agência de notícias “Reuters”, que acompanhava um ataque de Israel no Líbano quando foi atingido por uma explosão. O momento foi transmitido ao vivo, inclusive da TV brasileira.

O coordenador do CPJ no Oriente Médio e no Norte da África, Sherif Mansour, destacou a gravidade da morte dos profissionais de imprensa, em comunicado oficial. “O CPJ enfatiza que jornalistas são civis fazendo um trabalho importante em tempos de crise e não devem ser alvo de nenhum lado da guerra. Jornalistas estão fazendo grandes sacrifícios na região cobrindo esse importante conflito. Todos os lados devem tomar medidas para garantir a segurança deles e parar essa pesada e mortal contagem”.

WhatsApp
Facebook
X
Telegram