Foto: redes sociais

Acusados

Justiça concede liberdade provisória a motorista e esposa que esqueceram menino de 2 anos em van escolar

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), o casal foi autuado por homicídio doloso

A Justiça paulista concedeu, nesta quarta-feira, (15/11), liberdade provisória ao motorista Flávio Robson Benes e sua companheira, Luciana Coelho Graft. Os dois são acusados pela morte de Apolo Gabriel Rodrigues, de 2 anos.

A criança foi deixada em uma van escolar, na terça-feira, (14/11), por mais de oito horas dentro do veículo. Ele veio a óbito, decorrente alta temperatura dentro do automóvel.

O casal foi levado para audiência de custódia nesta quarta. Na ocasião, foi dado liberdade provisória aos dois, com medidas cautelares.

*Comparecimento obrigatório a todos os atos processuais para os quais forem intimados;

*Comparecimento mensal em Juízo para informar e justificar suas atividades, bem como eventual atualização de endereço;

*Manter o endereço atualizado junto à Vara competente (informando imediatamente eventual alteração);

*Não ausentar-se da Comarca de residência por mais de oito dias sem prévia comunicação ao Juízo;

*Recolhimento domiciliar no período noturno (das 22 horas às 6 horas) e nos dias de folga;

*Não manter contato, por qualquer meio, inclusive virtual, com as testemunhas do processos e com familiares da vítima;

*Suspensão imediata do exercício da atividade profissional de transporte escolar de crianças e adolescentes;

*Suspensão da habilitação para dirigir veículo automotor, devendo os indiciados entregarem a Carteira Nacional de Habilitação no prazo de 24 horas.

Caso, Flávio e Luciana descumprirem as medidas, perdem a liberdade provisória e serão recolhidos ao presídio.

WhatsApp
Facebook
X
Telegram