(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

CO2

Oxfam: 1% mais rico emite mais carbono do que 66% mais pobre

A 'elite poluidora' está saqueando o planeta até o ponto de destruição, diz Oxfam após estudo abrangente sobre a desigualdade climática

O 1% mais rico da humanidade é responsável por mais emissões de carbono do que os 66% mais pobres, com consequências terríveis para as comunidades vulneráveis ​​e para os esforços globais para enfrentar a emergência climática, afirma um relatório da Oxfam sobre a desigualdade climática global.

Segundo o estudo, este grupo de elite, composto por 77 milhões de pessoas, incluindo bilionários, milionários e aqueles que recebem mais de 140.000 dólares (112.500 libras) por ano, foi responsável por 16% de todas as emissões de CO2 em 2019. Isso foi o suficiente para causar mais de um milhão de mortes devido ao calor excessivo.

De acordo com a investigação, o sofrimento recai desproporcionalmente sobre as pessoas que vivem na pobreza, as comunidades étnicas marginalizadas, os migrantes e as mulheres, que vivem ou trabalham fora em lares vulneráveis ​​a condições meteorológicas extremas. Estes grupos têm menos probabilidades de ter poupanças, seguros ou proteção social, o que os deixa mais em risco económico, bem como fisicamente, de inundações, secas, ondas de calor e incêndios florestais.

Solução

A Oxfam apela a impostos pesados ​​sobre a riqueza dos ‘super-ricos’ e impostos sobre as empresas de combustíveis fósseis para apoiar os mais afetados, reduzir a desigualdade e financiar uma transição para as energias renováveis. Diz que um imposto de 60% sobre os rendimentos do 1% mais rico arrecadaria 6,4 bilhões de dólares por ano e poderia reduzir as emissões em 695 milhões de toneladas.

A ONU afirma que os países em desenvolvimento são responsáveis ​​por 91% das mortes relacionadas com condições meteorológicas extremas.

O relatório conclui que seriam necessários cerca de 1.500 anos para que alguém dos 99% mais pobres produzisse tanto carbono como os bilionários mais ricos produzem num ano.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram