Caucaia: prefeito Vitor Valim anuncia pagamento de piso da enfermagem para a folha de agosto, e os retroativos dos meses anteriores

A Prefeitura de Caucaia foi uma das primeiras do estado a anunciar o pagamento do piso para as categorias de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. Nesta terça-feira (29), o prefeito de Caucaia, Vitor Valim, anunciou, através das redes sociais, que o primeiro pagamento relativo ao novo patamar já será pago até o final deste mês.

“Já nesta folha de agosto vai ser implementado o piso nacional da categoria. E, além disso, estamos pagando o retroativo a maio, junho e julho aos nossos enfermeiros e técnicos concursados da Prefeitura de Caucaia. E conforme decisão do Supremo (Tribunal) e repasse federal, o restante será rateado entre enfermeiros e técnicos contratados pela Prefeitura”, disse o mandatário.

O Projeto de Lei enviado pela gestão municipal para a Câmara de Vereadores de Caucaia criou quatro classes e cinco referências salariais para as três categorias: Auxiliares e Técnicos em Enfermagem, além dos Enfermeiros. Todos passam a ter o piso nacional respeitados (R$ 2.375,00, R$ 3.325,00 e R$ 4.750,00, respectivamente), podendo chegar a R$ 10.007,53 no último nível de progressão para os enfermeiros, sem contar as gratificações de titulação e demais vantagens pecuniárias, a partir de janeiro de 2024.

Desde o anúncio do novo piso, Vitor Valim se colocou ao lado da categoria, e definiu a revisão salarial como “legítima e justa”. Tão logo aprovada, a gestão municipal entrou com um processo revisional junto ao Ministério da Saúde para que houvesse uma complementação no recurso enviado pela União ao município, a fim de que os profissionais tenham seu direito adquirido respeitado.

“Eu tenho 14 anos como enfermeira de Caucaia. Para nós, foi um ganho não só financeiro, mas de reconhecimento muito grande. Nós já temos um plano de cargos e carreiras no município, então esse aumento do piso impactou também em outras gratificações. Mesmo sabendo disso, o prefeito sempre abraçou essa bandeira e em nenhum momento foi contra”, relata Silvana Coelho, enfermeira.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram